O GRUPO DULCESOL ELIMINARÁ AS JAULAS NA CRIAÇÃO DAS SUAS GALINHAS

5 Fevereiro 2018

A partir desta quinta, o Grupo controla a produção de ovos, que é uma das principais matérias-primas na fabricação de muitos dos seus produtos. Com estas mudanças, quer responder a uma crescente procura por ovos que sejam mais respeitosos com o bem-estar animal, uma tendência que se está a consolidar na sociedade.


O Grupo Dulcesol, empresa fabricante de diferentes categorias de produtos alimentares, conclui a fase inicial de um projeto que o levará a utilizar, para a elaboração das suas especialidades, ovos de galinhas que crescem livremente, num prazo de cinco anos.

Desta forma e de acordo com o projeto em curso, desde o final de 2017, as galinhas poedeiras de uma das quatro instalações da sua quinta em Terrateig - inaugurada nos anos 80 – passarão a movimentarem-se livremente dentro da capoeira. Uma medida que em breve será aplicada a todos os animais (cerca de 500.000), dos quais anualmente são extraídas mais de 7.500 toneladas de ovo líquido. Um ingrediente, por um lado, essencial para a elaboração de receitas, que são comercializadas tanto no mercado nacional quanto no internacional, entre as quais, por exemplo, as do seu principal produto: as madalenas.


Desta forma e de acordo com o seu compromisso de melhorar os padrões de bem-estar animal, a empresa planeia gradualmente garantir que todas as suas galinhas possam se mover livremente.

A quinta avícola Vall d'Albaida, que faz parte do sistema integrado de produção do Grupo Dulcesol, garante a rastreabilidade e a qualidade dos ovos fornecidos, com os quais abastece cerca de 90% das suas necessidades. Adicionalmente, foi elaborado um plano de redução e valorização de resíduos, em que uma percentagem da ração usada para alimentar as galinhas provem dos cortes de pão e confeitaria, fornecendo-lhes os nutrientes necessários, como carboidratos, açúcares e gorduras.